TOP 5: Ecchi – Peitos, comédia e ação – Parte V

#5 Strike The Blood

Gênero: Ação, Ecchi, Fantasia, Shounen, Sobrenatural

Episódios: 24 (lançando)

Sinopse: A história de fantasia e ação escolar de Strike the Blood gira em torno de Akatsuki Kojou, um garoto considerado o vampiro mais perigoso do mundo (que pensavam existir apenas em mitos e lendas), e Himeragi Yukina, uma garota que recebeu a missão de ficar de olho no vampiro e, se preciso, eliminá-lo.

(Fonte: animeecchi)

Comentários: Não há nada revolucionário aqui também, mas eu acho que esse é um dos melhores animes que vem sendo lançado nessas duas últimas temporadas (que vieram bem fraquinhas, diga-se de passagem). É legal de assistir, e embora o ecchi seja meio desnecessário em algumas cenas, não atrapalha. A única coisa que eu não gosto em Strike The Blood é o desenvolvimento de algumas personagens depois de conhecer o Kojou. Elas meio que “perdem” a personalidade que tinham antes… E acabam ficando bem irritantes (pelo menos na minha opinião). Mas não são todas, e na pior das hipóteses temos a La Folia pra salvar a pátria… E mexer com nossas cabeças/corações. 😛

Enfim, é isso aí. Meu TOP 5 (finalmente lol) chegou ao fim. Deixem nos comentários os seus ecchis preferidos e caso já tenham assistido os que eu comentei, digam o que acharam também. Sintam-se livres para discordar da minha opinião, mas mantenham a discussão civilizada. xD

TOP 5: Ecchi – Peitos, comédia e ação – Parte IV

#4 Infinite Stratos

Gênero: Ação, Comédia, Ecchi, Mecha, Shounen, Fição Científica

Episódios: 24

Sinopse: Passa-se num mundo onde as mulheres lideram a sociedade graças à invenção da Infinite Stratos, uma poderosa arma que só pode ser equipada por elas. Com isso, pouco a pouco as mulheres começam a ter seu lugar em postos importantes, até que um dia substituam o papel dos homens. Num mundo assim, surge um único homem capaz de equipar uma Infinite Stratos. Então, ele entra para um colégio de treinamento onde só existem garotas.

(Fonte: Fanmytsu)

Comentários: O que vocês acham que acontece quando você é o único cara estudando em uma escola que até então só tinha meninas? Pois é… Digamos que o Ichika se encontrará em algumas saias justas estudando por lá.

PARTE V

TOP 5: Ecchi – Peitos, comédia e ação – Parte III

#3 BTOOOM!

Gênero: Ação, Ecchi, Ficção científica, Psicológico, Seinen

Episódios: 12

Sinopse: Num piscar de olhos, Ryouta Sakamoto se vê transportado; ele estava jogando o hit BTOOOM! em seu quarto quando, do nada, foi parar em uma ilha misteriosa, equipado com suprimentos para um dia, uma “pochete” de bombas, um estranho cristal inserido em sua mão esquerda e um grande buraco em sua memória. Porém, ele não leva muito tempo para descobrir o que está acontecendo, especialmente depois que a primeira pessoa que Ryouta encontra tenta matá-lo. Alguém está tentando recriar o jogo ultra violento BTOOOM! na vida real, e a ilha foi preenchida por um exército de outros jogadores, cada um munido com diferentes tipos de armas explosivas chamadas BIM. Felizmente, Ryouta era um dos melhores jogadores de BTOOOM!, mas nessa versão insana do jogo que não há como resetar ou ter uma segunda chance de viver, só há um jeito de sair da ilha: matar sete pessoas antes que elas te matem! Será que Ryouta consegue vencer esse jogo baseado em suas habilidades rápido o suficiente para sobreviver?

(Fonte: MAL)

Comentários: Se eu tivesse que fazer um TOP 10 dos melhores animes que eu já vi, BTOOOM! entraria facilmente para a lista. A história não é algo revolucionário, mas é muito bem executada e eu adoro esses “jogos de sobrevivência” da vida. Além disso, a abertura é épica! – Sou suspeita a falar porque amo a nano, mas ignoremos essa parte. É muito boa mesmo.

Eu também sinto que BTOOOM! foi prejudicado na época de seu lançamento, já que foi junto com Sword Art Online e vocês sabem o sucesso que este fez. Embora a ideia seja a mesma, o conceito é diferente. BTOOOM! começa com um jogo virtual, mas depois você tem que jogá-lo na vida real, e isso transforma muito as pessoas – o que eu acho que é um dos pontos mais fortes do anime. As pessoas que estão lá vão de psicopatas, mercenários a trabalhadores comuns, advogados, etc. E todos eles passam por cima do que e de quem for necessário para sobreviver, afinal de contas, é matar ou morrer. O Sakamoto inicia o anime sendo bem “bobinho”, fazendo aqueles discursos de bom samaritano, de que não quer matar ninguém… Mas depois ele descobre que as coisas não funcionam bem assim, e ele não vai conseguir sair da ilha sem sujar as mãos.

Ah, em relação ao ecchi… Não é recomendável assistir se for menor de 16 anos, porque rola estupro e coisas do tipo… No anime não é TÃO “feio”, mas no mangá sim. Então, para os interessados em ler… Já sabem.

PARTE IV

TOP 5: Ecchi – Peitos, comédia e ação – Parte II

#2 Mayo Chiki

Gênero: Comédia, Romance

Episódios: 13

Sinopse: Sakamachi Kinjirou (Jirou) é um jovem de 17 anos, estudante do ensino médio que possui ginofobia, uma “doença” que faz com que ele tenha sangramentos nasais sempre que é tocado por uma garota.

Num belo dia, ele acidentalmente descobre que, na verdade, Konoe Subaru é uma garota que se passa por garoto para manter a tradição da família de serem mordomos. Agora Sakamachi Kinjirou se vê obrigado a ajudar a manter o segredo de Konoe.

(Fonte: Tumblr)

Comentários: Esse é aquele típico anime feito pra arrancar risadas e mexer com a cabeça e os fetiches alheios, hahaha. Cada personagem de Mayo Chiki possui uma personalidade única, o que deixa a história ainda melhor. No quesito comédia, é tão bom quanto Haganai. E em relação ao ecchi… Bom, eu disse que esse anime mexe com os fetiches alheios, não disse? Pois é… 😛

PARTE III

TOP 5: Ecchi – Peitos, comédia e ação – Parte I

Primeiramente eu gostaria de avisá-los que esse TOP 5 é baseado na minha opinião pessoal, então nem tudo o que me agrada pode agradá-los, mas tenho certeza que vocês irão curtir pelo menos um dos 5 animes escolhidos;

Os animes serão postados separadamente, e a posição de cada um varia dependendo do que você estiver avaliando, portanto não se prendam muito à ordem que eu coloquei;

Pessoalmente, eu não gosto daquele tipo de ecchi que não tem nada além de peitos na sua tela a cada dois segundos sem história alguma; por isso os escolhidos da minha lista estão mesclados com outros gêneros (comédia, ação, harém, etc). Enfim, sem mais delongas…

#1 Boku wa Tomodachi ga Sukunai (Haganai)

Gênero: Comédia, Ecchi, Romance, Harém, Seinen

Episódios: 24 + 1 OVA

Sinopse: Hasegawa Kodaka trocou de escolas e está tendo dificuldade para fazer amigos. O cabelo loiro dele também não ajuda muito já que as pessoas acham que ele é um delinquente. Um dia, ele dá de cara com sua colega de classe solitária e de temperamento forte, Yozora, enquanto ela está conversando de forma animada com sua amiga imaginária, Tomo. Percebendo que nenhum dos dois possui amigos de verdade, eles decidem que o melhor jeito de mudar essa situação é criar um clube e começar a “recrutar” membros.

E desse jeito o “Rinjinbu”, o “Clube dos Vizinhos”, foi formado, um clube designado especificamente para pessoas que não têm muitos amigos. Assim que outros colegas de classe solitários lentamente juntarem-se ao pequeno clube, eles tentarão aprender como construir amizades ao cozinhar juntos, jogar games, e fazer outras atividades em grupo. Mas será que esse grupo de “relações desafiadoras” será capaz de se dar bem?

(Fonte: MAL)

Comentários: Se for considerar a ordem em que eu os assisti, esse é o mais recente da minha lista. Fiquei bem relutante antes de começar a vê-lo porque não gosto de “droppar” animes, e achei que esse fosse só mais um daqueles clichês escolares que nada acontece (e eu não gosto disso). Porém, me surpreendi. No quesito comédia, foi um dos melhores que eu já vi. Claro que isso depende do senso de humor de cada um, mas a minha barriga já estava doendo de tanto rir após 4 meros episódios. E em relação ao ecchi… Apenas observem a Sena (a loirinha peituda ali) e pensem que tipo de cena vai sair a partir daí, hahaha. Enfim, eu recomendo ver a versão Blu-ray, porque na HDTV ficou bem censurada e algumas cenas acabaram perdendo a graça por causa disso.

PARTE II