A cansativa carga horária mensal dos artistas na industria de anime

industria de anime

A Janica (Associação de Criadores de Animação do Japão) em parceria com a editora Dai Nippon Printing realizou um estudo das condições de trabalho na indústria de anime, coletando 382 respostas de artistas, animadores, escritores, diretores, editores e produtores. Ao todo, 360 pessoas forneceram informações sobre o horário de trabalho e a média apurada foi de 230 horas por mês.

Levando em conta que um mês de trabalho equivale a 20 dias, sem os finais de semana, calcula-se uma carga bastante cansativa de 11,5 horas por dia. A única maneira que teriam para reduzir essas 230 horas por mês para 8 horas de trabalho regular por dia, seria necessário que trabalhassem pelo menos 29 dias no mês, dando aos animadores apenas um ou dois dias de folga em um mês inteiro.

Considerando o lado financeiro, os 360 entrevistados que participaram da pesquisa ganhavam uma média de 4,4 milhões de ienes (aproximadamente R$ 170.000) por ano, o que não é uma quantia ruim se você não estiver preocupado com a carga horária. No entanto, nem todos os profissionais de anime ganham esse valor, 40% dos entrevistados alegaram ganhar menos de 3 milhões de ienes por ano trabalhando a mesma carga horária de quem ganha mais.

Obviamente, longas horas de trabalho e baixos salários são comuns em muitos setores da indústria do entretenimento. A maioria das pessoas que seguem uma carreira na produção de anime não está fazendo isso porque querem enriquecer ou porque é um trabalho confortável e de baixa exigência. A maioria esta nesse ramo porque amam a arte e o que fazem, porém, esse amor pode acabar quando são sobrecarregados por cargas de trabalho tão pesadas.

Me pego pensando exatamente o que eu mais gostei no anime? Por que eu continuo com nessa indústria? Às vezes não consigo mais encontrar as respostas. Estou gastando toda a minha força física e mental, mais meu dinheiro e meu tempo.” disse uma mulher de 20 e poucos anos que trabalha como animadora.

Apesar dos preocupantes resultados, a pesquisa foi realizada em novembro e dezembro de 2018. E um dos entrevistados, mencionou que, por mais difíceis que fossem suas condições de trabalho, eles estavam gradualmente melhorando em comparação com o que eram antes.

Esperamos que a melhoria seja algo que continue acontecendo e se espalhe para todos que trabalham nesse seguimento. Pois mesmo que essas melhorias estejam sendo feitas, a indústria de anime ainda é uma maneira muito difícil de ganhar a vida, e provavelmente continuará sendo assim por algum tempo.

Via: SoraNews


Veja também:

Dani

Formada em Pedagogia, 31 anos, apaixonada por animes, coisas fofas e quase tudo da cultura oriental.