Relembrando Super Campeões – Anime que fez história com conexão brasileira

Como esquecer o anime de futebol mais bacana que já foi feito? Quem é da década de 1990 e fã do Super Campeões lembra da saga “Road to 2002”, exibida originalmente entre 2001 a 2002. Esse enredo, que ficou muito famoso no Brasil com o protagonista (e mito) Oliver Tsubasa tentando levar a seleção japonesa até a conquista da Copa do Mundo, está longe de ser o primeiro e único exibido na TV brasileira.

A primeira vez que o anime foi transmitido por aqui foi na década de 1980, ainda na Manchete — a história foi criada por Yōichi Takahashi como mangá, ainda em 1981 —, e voltou a ser exibido sob uma nova história pela mesma Manchete entre 1994 a 1995.

Todos os animes que foram lançados no Japão também foram exibidos no Brasil, e essa ligação não é apenas pelo fato de que o tema principal é o futebol.

Super Campeões foi lançado em um momento que o futebol japonês não estava nas melhores das condições, e inclusive foi apoiado pela federação nacional do esporte no Japão. Como na década de 1980 o Brasil já era uma referência mundial no futebol, com três Copas conquistadas até então, o mangá e o anime em muitos momentos reverenciam o futebol daqui.

Quando Tsubasa ainda estava na categoria de base, ele foi com o seu treinador, Roberto, para o Brasil no intuito de desenvolver suas habilidades sempre visando a conquista da Copa do Mundo com a seleção japonesa. É nesse momento que o meio-campo Sócrates aparece com o nome de “Roberto Sedinho”, auxiliando Tsubasa quando ele ainda estava desenvolvendo suas habilidades.

Além disso, duas equipes brasileiras no anime que são retratadas com nomes genéricos, como São Paulo (Brancos) e Flamengo (Flonoria) e o melhor jogador do mundo durante o “Road to 2002” é Rivaldo, sob nome de “Rivaul”. E Tsubasa chega a jogar no Brancos durante esse anime. Tanto São Paulo como Flamengo haviam sido campeões mundiais nos anos 80 e 90, vale lembrar – e a final do mundial era sempre em Tóquio.

A conexão com outros países vai além com o Brasil. Uma das partes mais legais é quando Tsubasa se transfere para o Barcelona, que no anime tem o nome de “Catalunha” – em referência ao Estado onde a cidade está localizada.

Apesar de o anime não mostrar de perto os principais pontos turísticos de Barcelona – que é um centro turístico e respira esportes, tendo sido sede de Jogos Olímpicos em 1992 – a história passa por outras cidades importantes no continente europeu como Madrid e Milão — nessas, há mais paisagens sobre esses centros, o que embeleza a narrativa.

A escolha de Barcelona como uma metrópole na história também tem uma ligação com o Brasil. “Queríamos um lugar na Espanha que respirasse futebol, assim como Brasil, e é uma cidade que já recebeu muitos brasileiros no futebol”, disse uma vez Takahashi.

Fora das TVs desde o começo da década de 2000, Super Campeões, em anime, não tem confirmação oficial de volta, mas pode ser relançado em 2018 — ano da Copa do Mundo que será disputada na Rússia.

Ainda na ativa nos mangás e peça de teatro — A obra de Takahashi já atingiu a marca de 70 milhões de mangás impressos no mundo, e ainda não parou. Desde 2013, está sendo lançado o Captain Tsubasa: Rising The Sun, que conta a trajetória de Tsubasa rumo às Olimpíadas.

Desde o famoso anime exibido há cerca de 15 anos, outros foram lançados, como o Captain Tsubasa: Golden-23 (2005 a 2008), Captain Tsubasa: Kaigai Gekito Hen in Calcio (2009) e Captain Tsubasa: Kaigai Gekito Hen En La Liga (2010 e 2012).

Mesmo após mais de 30 após o lançamento do enredo original, Tsubasa e seus amigos continuam muito populares no Japão. Além de novas atualizações em mangás, entre os dias 18 de agosto a 3 de setembro, Super Campeões virará obra de teatro no país do sol nascente. A peça será exibida apenas em Tóquio, no Zepp Blue Theater Roppongi com programação original de 23 apresentações.

A peça ganhou o nome de Super Experience Stage Captain Tsubasa, e não fugirá o enredo de Yōichi Takahashi, escritor que escreveu todos os mangás da história. O tema principal desse musical será a trajetória de Tsubasa em busca da Copa do Mundo com a seleção japonesa.

Além de Tsubasa, que é o centro das atenções, a peça também terá a participação de outros importantes, como Tarō Misaki, Hikaru Matsuyama, Kazuo Tachibana, Masao Tachibana, Juan Nitta, Ryō Ishizaki, Roberto Hongō, entre muitos outros.

Dani

Formada em Pedagogia, 30 anos, apaixonada por animes e quase tudo da cultura oriental. Animes preferidos: Gankutsuou, SakuraCC, SakuraSou e Black Jack.