Setembro Amarelo: Koe no katachi

É muito comum que os animes tenham como história central um romance, a jornada de um herói para salvar o mundo, a luta contra monstros, o dia a dia de personagens, etc. Mas não é muito comum conhecermos animes que falam sobre as lutas diárias contra a ansiedade e a depressão por exemplo.

A verdade é que eles até existem, mas dificilmente fazem sucesso com o público em geral. Mas alguns conseguem deixar sua marca e se tornam queridos, um bom exemplo disso é o filme Koe no katachi (A voz do silêncio). 

Koe no katachi foi produzido pela Kyoto Animation, dirigido por Naoko Yamada, e baseado no mangá de mesmo nome. A história começa quando a Nishimiya Shōko, que tem perda auditiva,  é transferida para a mesma classe do Ishida Shōya. 

Koe no katachi

Logo que a garota entrou na escola todos se animaram com a nova colega, mas não demorou muito para se cansaram da menina por não conseguirem se comunicar com ela, e com isso ela começa a sofrer muito bullying na escola, principalmente de Ishida e sua colega Ueno. 

*Cuidado se você ainda não assistiu ao filme e não quer spoilers, pule os próximos 3 parágrafos*

Após sofrer muito com os ataques vindo da turma, Shōko se muda. Depois disso a turma começa a fazer bullying com Shōya que desde essa época até o colegial segue sofrendo com isso. 

Koe no katachi

Ele muda muito e se sente mal com tudo que fez, então logo no começo do filme o que vemos é ele em cima da ponte e logo percebemos que ele está planejando suicídio. Porém logo depois de se reencontrar com Shōko algo muda em seus planos. 

É um filme muito bonito que consegue quebrar aquela visão de personagem “ruim” e “bom, apesar de sentir muita raiva de todo bullying que a Shōko sofre e como as crianças são malvadas com ela, e também depois com Shōya, não é esse o objetivo do filme. 

Os personagens são complexos, e no fim torcemos para que eles se acertem e consigam seguir em frente apesar dos erros do passado. É um filme triste e lindo ao mesmo tempo, mostra como as pessoas podem mudar, como é perigoso odiar alguém, e como o bullying pode ser perigoso. 

É um dos meus filmes favoritos, ele faz a gente sentir muita coisa ao mesmo tempo, ódio e amor por alguns personagens, além de ser lindo visualmente, e uma trilha que ajuda na imersão a história. Se você ainda não assistiu “A voz do silêncio” está perdendo um dos melhores filmes japoneses atuais! 

Se você se sente mal, está passando por uma situação difícil, lembre-se que é importante conversar. No Brasil o CVV (Centro de valorização a vida) está aberto 24 horas por dia para te escutar, eles tem telefone (188) e também atendem por chat, com pessoas preparadas para conversar, você não está sozinho.